História

Os primeiros indícios de cultivo para recolha de azeitona e produção de azeite apontam para a ilha de Creta, em pleno mediterrânico, tal ocorrendo entre os anos 5000 a 2500 a.C. Já os primeiros registos escritos remontam a 2500 a.C., encontrando-se nas tabuletas minóicas, e demonstrando a importância que estas árvores e os seus produtos detinham no mundo dominado pelo rei Minos de Creta.

Tela de Van Gogh dedicada à oliveira

No Egipto antigo o azeite era vastamente utilizado na iluminação pública. Foi nas terras do vale do Nilo que se criaram os primeiros procedimentos mecânicos para extracção de azeite, cujos princípios ainda hoje são seguidos em todo o mundo. Na civilização egípcia o azeite era utilizado na cozinha e era muito apreciado para fins terapêuticos, sendo moda o banho de azeite. Do ponto de vista espiritual, existem provas da utilização de coroas de rama de oliveira nas cerimónias fúnebres, nomeadamente ao nível do próprio Faraó. Foram os fenícios, exímios viajantes, que se encarregaram de disseminar a oliveira pelas costas do Mediterrâneo, a partir de 1600 a.C. Foi assim que chegou às Ilhas Gregas, onde alguns séculos mais tarde viria a despontar a Civilização Grega, que tanto valorizou a oliveira e os seus produtos.

[Página Anterior]


www.ecossistemas.com

© Ecossistemas, 2006